Grupo cadastrava membros de facção para pagar auxílio a esposas de presos

Grupo criminoso era responsável pela cobrança e recebimento de uma contribuição mensal paga pelos faccionados

| VIVIANE OLIVEIRA / CAMPO GRANDE NEWS


Viaturas da Polícia Federal nas ruas de Campo Grande (Foto: arquivo / Campo Grande News)

A operação Responsa Sagrada, deflagrada pela PF (Polícia Federal) na terça-feira, mas divulgada apenas hoje, investiga grupo criminoso responsável pela gestão financeira e de cadastros dos membros de organização criminosa com atuação no Rio Grande Norte.

Cinco mandados de prisão preventiva e um mandado de busca e apreensão foram cumpridos nas cidades de Nísia Floresta (RN) e Campo Grande. Dois investigados não foram localizados durante as diligências e seguem foragidos. Eles não tiveram os nomes informados.

Segundo a PF, o grupo criminoso era responsável pela cobrança e recebimento de uma contribuição mensal paga pelos membros da organização criminosa e pela destinação dos valores arrecadados.

Eles pagavam uma espécie de auxílio às esposas e companheiras dos líderes da facção recolhidos nas unidades prisionais federais. Além disso, o bando atualizava e mantinha um cadastro detalhado contendo os dados de todos os seus integrantes.



Comentários

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE