Sem crematório em Campo Grande, mortos por coronavírus precisam de cuidados especiais

Anvisa recomenda cremação dos corpos, mas município não possui estrutura para isso

| TOP MíDIA NEWS


A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) orienta pela cremação em vez de enterro das pessoas mortas pelo novo coronavírus. No entanto, Campo Grande não possui crematórios municipais para o caso de fatalidades. Se for o caso, a prefeitura destaca que a recomendação não é obrigatória.

 

“Existe recomendação para que pessoas em óbito por causa do vírus sejam cremadas, ao invés de enterradas, porém não é considerada uma medida obrigatória e necessária, sendo que outros cuidados podem ser tomados, como assepsia e manipulação adequada do cadáver. Todas as medidas de prevenção estão sendo tomadas para evitar justamente que o município venha a sofrer um colapso”, diz trecho de nota enviada pela prefeitura.

 

No Brasil já são 2.271 casos e 47 mortes por Coronavírus, segundo boletim do Ministério da Saúde, divulgado ontem. Na Capital, não há registro de mortes, mas 19 casos foram confirmados até o momento, além de 48 que estão sob investigação.

Apesar de estar tomando todas as medidas preventivas possíveis, o prefeito Marquinhos Trad (PSD) revelou, anteriormente, estatísticas que preveem 9 mil infectados pela doença, sendo que nem todos terão acesso a tratamento e podem morrer. Mas a prefeitura está reforçando as estruturas de atendimento para evitar a propagação do coronavírus.


 “Cerca de 300 leitos hospitalares foram disponibilizados em toda a rede conveniada e os profissionais foram capacitados para atuarem no enfrentamento da doença. É importante ressaltar que em Campo Grande não há nenhum óbito causado pelo Covid-19”. 



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE