Bolsonaro afirma que cumprirá pedido da OMC para produção de mais alimentos

Bolsonaro pediu que manifestações de 1º de maio sejam pacíficas

| MIDIAMAX/RANZIEL OLIVEIRA


Ilustrativa (Foto: Marcos Ermínio / Jornal Midiamax)

O presidente Jair Bolsonaro afirmou neste sábado (30), durante visita à ExpoZebu, em Uberaba, que o pedido da OMC (Organização Mundial do Comércio), feito pela diretora geral Ngozi Okonjo-Iweala, de produzir mais alimentos será atendido.

“Terão mais alimentos com toda certeza, porque ano após ano, aumenta a nossa produtividade, quer seja na agricultura, quer seja na pecuária. Isso é o trabalho de todos vocês, povo brasileiro que trabalha, que investe, que acredita, tem fé e quer o seu país cada vez melhor', afirmou o presidente durante a abertura do evento.

Bolsonaro lembrou também que mais de 30 navios com fertilizantes estão a caminho da Rússia para o Brasil, resultado da viagem que fez em fevereiro ao país para tratar da compra desses produtos. “A nossa agricultura não para, muito menos a nossa pecuária', disse.

O presidente disse esperar que o país caminhe em direção à modernidade. “O que nós queremos é fazer com que o Brasil, cada vez mais, marche para a modernidade e esteja ao lado daqueles que produzem em nossa pátria. Não há orgulho melhor ou maior do que aquele ao visitar outros países, sempre acompanhado dos meus ministros, ser recebido, lá sim, com tapete vermelho', afirmou.

Guerra na Ucrânia e manifestação do 1º de maio

Para uma plateia de produtores rurais, Bolsonaro afirmou que o Brasil venceu a pandemia da covid-19 e que espera em pouco tempo o fim da guerra da Rússia contra a Ucrânia para o país voltar à normalidade. “Vencemos a pandemia. Se Deus quiser, até o final do mês que vem, acaba essa guerra do outro lado do mundo, e nós voltaremos à nossa normalidade.'

Bolsonaro pediu uma manifestação pacífica amanhã, 1º de maio, Dia do Trabalhador. 'Amanhã não será dia de protestos. Será dia de união do nosso povo para um futuro cada vez melhor para todos nós' pontuou. (Com informações da Agência Brasil).



Comentários

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE