IVINHEMA: Município é o quarto no MS com maior número de casos de dengue em 2021

Ivinhema está na frente de cidades muito maiores, como a capital Campo Grande e Dourados.

| REDAçãO ACONTECEU MS


Aedes aegypti é o vetor de transmissão da dengue, sa zika e da febre chuikungunya — Foto: MS/Divulgação

O município de Ivinhema é uma das cidades do interior que lideram o ranking de casos confirmados de dengue em Mato Grosso do Sul, segundo o Boletim Epidemiológico Dengue 2021, divulgado na quarta-feira (24) pela Secretaria Estadual de Saúde (SES).

Na última atualização, liderando a lista Três Lagoas e Corumbá registraram 1.749 e 1.602 casos confirmados, respectivamente, tendo uma quantidade de casos bem maior em relação as demais cidades seguintes.

Maracajú está em terceiro lugar com 512 casos e Ivinhema em quarto, com 394 e 1 morte registrada pela doença. A capital do estado, Campo Grande, vem em quinto lugar, com 392 casos, porém lidera no número de mortes. Outras sete cidades de MS registraram mais de 100 casos da doença transmitida pelo Aedes Aegypti.

Apesar do grande número de casos confirmados, 14 pessoas morreram em decorrência da dengue em todo o estado, desde o início do ano. Em 2020, 43 óbitos foram registrados no ano inteiro.
O estado busca investir em maquinários para combater focos do mosquito. “Nós fizemos todos os levantamentos possíveis, conseguimos substituir todas as máquinas que emprestamos para os municípios, aquelas para fazer o chamado fumacê, compramos máquina de uso domiciliar, de uso externo, reorganizamos todos os maquinários, para que junto com os municípios possamos enfrentar essas doenças”, destaca o secretário estadual de saúde, Geraldo Rezende.
A cidade com mais mortes por conta da dengue neste ano é Campo Grande, com três óbitos. As três pessoas falecidas eram idosas com diabetes e hipertensão. O mais recente óbito foi de um homem de 77 anos, em agosto, após seis dias do início dos sintomas.

Mortes estão distribuídas em oito cidades de MS — Foto: Reprodução/BoletimEpidemiológicoDengue2021


Comentários

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE