Preso técnico de enfermagem que abusou de pacientes e estuprou esposa

Uma médica e uma faxineira estão entre as vítimas do suspeito

| JORNAL DA NOVA


Técnico em enfermagem em depoimento na delegacia - Foto: Correio do Estado

Técnico de enfermagem, de 28 anos, foi preso suspeito de cometer pelo menos seis abusos sexuais, em Campo Grande, já havia estuprado a esposa em outra ocasião. Ele teve a prisão preventiva cumprida nesta segunda-feira (27).

 

Conforme informações da delegada Anne Karine Trevizan, da DPCA (Delegacia de Especializada de Proteção à Criança e Adolescente), o suspeito já tem passagens por tentativa de homicídio, porte ilegal de arma de fogo e estupro contra, até então, esposa.

 

O suspeito, que atuava pela Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública) desde setembro de 2018, estava lotado na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Vila Almeida e na UBS (Unidade Básica do Trabalhador) do Lar do Trabalhador, onde teriam acontecido os abusos.

 

Ainda de acordo com Trevizan, entre as vítimas estão uma médica e uma auxiliar de serviços gerais, além de uma adolescente de 15 anos e uma de 14 anos. As demais mulheres, todas maiores de 18 anos, são pacientes e acompanhantes de pacientes. 

 

“A última denúncia foi na quarta-feira (22) e, em diligências nós descobrimos as demais vítimas”, contou a delegada.

 

O caso das adolescentes ficarão na Depca, mas o outros quatro serão encaminhados para a DEAM (Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher). Trevizan acredita que mais mulheres podem ser vítimas dele e pede para que procurem a delegacia para registrar um boletim de ocorrência.

 

Ele foi encaminhado ainda para o Instituto Penal.

 

Em nota, Sesau informou que tomou conhecimento de queixas de assédio contra o servidor na última quinta-feira (23) e imediatamente afastou de suas funções na assistência e suspendeu os plantões eventuais.

 

Ainda conforme a Sesau, o técnico de enfermagem foi realocado no setor de almoxarifado, onde não teria contato com o público.

 

Paralelamente a mudança de setor, foi aberto um processo de sindicância administrativa, que ocorrerá em paralelo às investigações da Polícia Civil, para deliberar sobre quais as devidas sanções ao servidor suspeito.



Comentários