Advogado foi flagrado por câmera em cena de feminicídio

| MARTA FERREIRA E LUCIA MOREL / CAMPO GRANDE NEWS


Fernanda Daniele foi achada morta na quinta-feira, em plantação de milho. (Foto: Reprodução das Redes Sociais)

Provas – Imagens de câmeras de segurança, já em mãos da Polícia Civil, estão entre os elementos de prova obtidos contra o advogado Alexandre França Pessoa, 42 anos, preso pelo feminicídio de Fernanda Daniele de Paula Ribeiro dos Santos, 36 anos. Ela foi morta com um corte profundo no pescoço e depois jogada em plantação de milho à beira da MS-276, em Batayporã, vizinha a Nova Andradina, onde o suspeito e a vítima moravam.

Sem parar – Titular da delegacia de Batayporã, o delegado Filipe Davanso Mendonça disse ontem que os trabalhos foram ininterruptos desde achado de corpo, na quinta-feira (29), para desvendar o caso. Segundo ele, para fechar o inquérito, agora, faltam laudos, como o necroscópico e o de análise do celular do suspeito apreendido. O celular da vítima, até ontem, não havia sido localizado.

Sob escolta - Ontem, depois ser preso, o investigado passou mal, com uma crise hipertensiva. Chegou a haver suspeita de  princípio de infarto. Foi apurado que seria transferido a Dourados para tratamento, informação não confirmada até o fechamento desta coluna. A OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) acompanha a situação, como é praxe.

Silêncio – Pela apuração da reportagem do Campo Grande News, o advogado foi considerado suspeito desde o início. Ele mesmo se colocou nessa condição, quando prestou o primeiro depoimento, mas tentou passar a impressão de que não sabia de nada e queria colaborar com as apurações.



Comentários

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE