Judoca de MS, Luan está a dois passos de conquistar uma vaga nos Jogos Paralímpicos de Tóquio

Falta pouco para o jovem paratleta do Ismac garantir seu lugar na competição mundial

| MIDIAMAX


Atleta do Instituto Sul-Mato-Grossense para Cegos “Florivaldo Vargas' busca vaga no judô - (Divulgação)

Duas competições: é isso que falta pra o atleta da seleção brasileira de judô paralímpico, Luan Simões Pimentel, garantir a vaga, de fato, nos Jogos Paralímpicos de Tóquio em agosto.

A classificação do judô é feita por ranking. Ao final de todas as competições (que valem pontos para esse ranking) é que saem os classificados para os Jogos, explica o judoca. 'Tem uma competição na Turquia e uma na Inglaterra ainda. Eu preciso competir bem, ganhar o máximo de lutas possível, subir no pódio para eu estar conseguindo a vaga nos Jogos de Tóquio', disse em entrevista ao Jornal Midiamax.

'Minha expectativa é conseguir chegar no pódio, medalhar. É bem díficil, é uma competição muito disputada, vão atletas de todos os lugares do mundo, de vários países... tem país que sofreu menos com a pandemia do que o Brasil tá sofrendo, então eles estão podendo se preparar melhor. Vai ser uma competição bem difícil mas a expectativa é conseguir um bom resultado', garante Luan.

Natural de Camapuã, o jovem de 23 anos está treinando na parte da manhã a preparação física na academia e pela noite o judoca se dedica a uma parte mais específica de luta do judô. Segundo Luan, a pandemia atrapalhou bastante. 'Já adiou em um ano os jogos, então isso para o calendário competitivo foi bem ruim. Essas duas competições [que faltam] já eram pra ter sido ano passado', relata.

'Por conta de tudo fechado, de lockdown que é necessário, a gente acaba ficando sem treinar... treina em casa, mas não é a mesma coisa, acaba que não chega nem perto da gente estar treinando num local apropriado, treinando na academia... principalmente no caso do judô que, ao mesmo tempo em que é um esporte individual, também é coletivo, porque você precisa dos seus parceiros de treino pra estar evoluindo. Você precisa de pessoas para estar lutando todos os dias', explica o atleta.

Ele acredita que não foi o único a ter a preparação atrapalhada pela crise do coronavírus. 'Mas no geral, aqui no Brasil, por conta da Covid e de como está sendo essa pandemia, acaba que não tem jeito de como isso não afetar muito a gente', finaliza.

Os Jogos Paralímpicos de Tóquio terão início logo depois do fim dos Jogos Olímpicos. A competição entre os paratletas começará no dia 24 de agosto, chegando ao fim em 5 de setembro.

Tendo um bom desempenho nas disputas que faltam, Luan terá vaga garantida no torneio mundial. Acompanhe a trajetória do paratleta nessa caminhada até Tóquio através de seu Instagram @luans_pimentel.



Comentários

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE