Menina de 6 anos ferida em atentado teve nariz arrancado por tiro de fuzil

Ela recebeu atendimento no Hospital Regional de Ponta Porã e devido a gravidade foi transferida em estado grave para o HU

| VIVIANE OLIVEIRA E HELIO DE FREITAS / CAMPO GRANDE NEWS


SUV blindado onde estava Fredy Enchagüe Bordon que morreu na hora. (Foto: Marciano Candia)

A menina de 6 anos baleada durante atentado que matou o paraguaio Fredy Enchagüe Bordon, de 22 anos, ontem (20) em Pedro Juan Caballero, cidade paraguaia vizinha de Ponta Porã, teve o nariz arrancado por tiro de fuzil de raspão. A primeira informação divulgada era de que a criança havia sido ferida no pescoço.

Ela recebeu atendimento no Hospital Regional de Ponta Porã e devido a gravidade foi transferida em estado grave para o Hospital Universitário de Dourados. A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa do HU para saber o estado de saúde da criança e aguarda retorno.

Segundo relatos da família para a página de notícias Pedrojuaninos online, apesar da gravidade, a criança está estável recebendo atendimento médico. A menina foi atingida enquanto brincava na varanda de sua casa, a uma quadra do cruzamento entre as ruas Fernando de la Mora com Eliza Alicia Lynch, onde ocorreu o crime.

A outra mulher, de 36 anos, que também ficou ferida, estava em ponto de ônibus. Não há informação sobre o estado de saúde dela.

Dentro do SUV blindado, com placa do Paraguai, que Fredy dirigia, foram localizados maços de dólares. A polícia paraguaia ainda não sabe qual a procedência do dinheiro.

Um veículo Hyunday, de cor preta, foi encontrado abandonado ao lado do carro crivado de balas. Ainda não se sabe se os ocupantes do automóvel têm participação na execução.

Fredy chegou a ser socorrido para o hospital particular São Julião, mas não resistiu aos ferimentos. Os atiradores chegaram ao local do crime em uma Hilux, de cor prata, e após os tiros, atravessaram o canteiro central de uma das ruas e ainda não foram localizados.



Comentários

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE