Jovem de 21 anos desiste de denúncia contra pai, mas polícia investiga cárcere

Jovem de 21 anos, gestante, diz que pai não aceita relacionamento dela e a manteve em cárcere por 4 meses

| CAMPO GRANDE NEWS


Caso foi registrado na Delegacia da Mulher, em Campo Grande (Foto/Arquivo: Paulo Francis)

A Polícia Civil de Campo Grande irá investigar a denúncia de sequestro e cárcere privado que uma jovem de 21 anos, gestante, alega ter sido vítima por 4 meses. A acusação é contra o pai, de 52 anos e foi feita ontem, após agressão que teria sofrido na semana passada. Ela pediu medida protetiva contra o homem.

O caso está sob investigação na Deam (Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher) e foi registrado ontem. O homem não foi detido pelas acusações.

A delegada Bárbara Camargo disse que, depois da denúncia, a jovem não quis representar acusação por injúria real e ameaça, mas que o boletim de ocorrência sobre sequestro e cárcere privado não depende da vontade da vítima e será investigado.

“Se conseguirmos comprovar autoria, o Ministério Público tem que denunciar', explicou Bárbara Camargo. A pedido da jovem, a Polícia Civil pediu que ela recebesse medida protetiva.

O caso – consta no boletim de ocorrência que o pai não aceitava o relacionamento dela. Segundo a jovem, em janeiro deste ano, ela foi convidada pelo pai a passar uns dias na casa da avó, em Aquidauana. Ficou 15 dias na cidade e conseguiu manter contato com outros familiares.

Em fevereiro, a jovem foi levada para Porto Murtinho e diz que foi mantida em cárcere até junho. No relato à polícia, conta que o pai a ameaçava de morte caso entrasse em contato com o marido ou familiares dele. Também dizia que faria com que perdesse o bebê. Não foi especificado o tempo de gestação.

No mês de junho, a jovem inventou que estava sentindo dores na barriga e conseguiu voltar para Campo Grande. Porém, continuou sendo vigiada pelo pai o tempo todo.

De acordo com a vítima, no dia 12 deste mês, ela foi xingada, agredida com tapas no rosto e esganada pelo pai e, por isso, procurou a polícia.

A reportagem tentou entrar em contato com familiares da jovem, mas ninguém quis falar sobre o assunto.



Comentários

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE